Mini-curso 04: O Zen e Os Quatro Esforços


right_effort1

Mini-curso 04
O Zen e Os Quatro Grandes Esforços

aulas a serem ministradas em maio, 2018 nos dias 4, 11, 19 (sábado) e 25 às 20h
4 aulas

 

Os Quatro Grandes Esforços do Caminho de Oito Aspectos (sammāppadhāna):

  1. O esforço para evitar o surgimento na mente de estados mentais negativos
  2. O esforço para abandonar quaisquer estados mentais negativos que tenham surgidos na mente
  3. O esforço para cultivar estados mentais positivos que ainda não surgirem
  4. O esforço para manter os estados mentais positivos que já surgirem

 Contribuição mínima: R$ 60 (Ao Vivo) / R$ 50 (EAD)
Pagamento deverá ser realizado através de PagSeguro pelo link abaixo:


Contribuição mínima: R$ 60
Pagamento deverá ser realizado através de PagSeguro pelo link abaixo:

Você também pode tornar-se membro da Sanga Virtual Jisui. Com sua filiação você tem acesso direto a este e outros cursos e ainda ajuda na divulgação dos ensinamentos preciosos que o Budismo oferece. Mais informações entre em contato através do e-mail aguasdacompaixao@gmail.com


Formulário de inscrição para o Mini-curso:

 ATENÇÃO: Antes de enviar o formulário de inscrição faça o pagamento como indicado acima para que possamos confirmar sua vaga. Muito obrigado!
Anúncios

Nova Criança Buda: Ordenação Monástica


IMG_7896No dia 8 de abril, dia da celebração do nascimento de Buda no Japão, tivemos o nascimento simbólico de uma nova “Criança Buda” com a ordenação monástica do Daniel Confortin, coordenador do Grupo de Práticas Budistas Shantideva, de Passo Fundo, RS. O novo unsui (monge-em-treinamento) recebeu o nome de darma de Daihou (大法, Grande Darma).

A cerimônia, realizada no Jisui-ji, Templo Águas da Compaixão, contou com a presença de amigos de várias linhagens e escolas de Budismo, tanto de Porto Alegre quanto de Passo Fundo. Tivemos ainda a presença do nosso amigo, Lama Jigme Lhawang, pois, antes de passar para o Zen em 2017, Daihou-san havia praticado o Budismo Tibetano durante vários anos, tendo uma conexão muito próxima com a linhagem do próprio Lama. Entre 2014 e 2015, sob a orientação do mestre Chokyi Nyima Rinpoche, treinou no mosteiro Ka-nying Shedrub Ling em Katandu, Nepal, onde desenvolveu seu trabalho de mestrado “A Imagem na Educação Budista Indo-Tibetana” pesquisando a obra de Rongzom Chökyi Zangpo, numa parceria do  Rangjung Yeshe Insitute com a Universidade de Passo Fundo.

Desta forma, o Daihou-san nos traz uma considerável bagagem de estudo e prática para a sua prática e treinamento no Zen. Mesmo assim, como uma “criança” em nossa escola, passará por um longo período onde ainda enfrentará muitos desafios para que possa engatinhar, caminhar, falar e tornar-se um monge pleno e professor de darma (sensei).

Estendemos agradecimentos especiais para Teresinha Confortin, da Tere Confortin, pela comida deliciosa que pudemos saborear no almoço.

Ler mais:
. A Formação de um Monge Soto Zen
. A Ordem Monástica da Escola Soto Shu

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Reflexões de Praticantes Leigos (03)


FotoBrahmakumaris-org

Foto: Brahmakumaris.org

O membro-praticante da Sanga Frederico Blanco de Miranda compartilhou conosco, no nosso grupo de WhatsApp, a seguinte reflexão:

No espírito de fazer relatos sobre a prática, gostaria de compartilhar uma ou duas coisas sobre a minha.

Hoje eu acordei cedo, lá pelas 6h, e sentei em zazen 30 min, antes de me arrumar e sair para o trabalho. Não é sempre que tenho feito isso. A única coisa constante na minha prática é a intenção e o esforço. E não é nada fácil, como todos sabem. Mas continuo tentando.

Apesar de tudo, hoje tive um zazen muito bom, como poucas vezes tive (se é que alguma vez tive um zazen assim). Pela primeira vez, após muitas “sentadas” (rs), pude perceber minha respiração, de fato. Não que das outras vezes não sentisse que estivesse respirando, mas a questão é que pude experimentar minha respiração completamente.

A metáfora que me vem em mente é dizer que senti a respiração “cheia”. E, concomitantemente a essa vivência da respiração, pude perceber de uma forma mais clara os meus pensamentos.

Não o conteúdo dos pensamentos, mas a forma como eles surgiam diante de mim. Isso foi possível porque não perdi o foco da respiração. Mesmo “vendo” muitos pensamentos na minha frente, como que em um filme, pude manter uma distância entre eles e eu.

Essa experiência foi muito boa. Na verdade, a sensação era como se tivesse se formado um “círculo” em torno do meu corpo onde os pensamentos flutuavam ao redor. Um círculo que ia se ampliando, mas se estabilizou em um ponto.

Eu sei que parece meio estranho, mas é uma forma que encontrei para descrever a sensação. Talvez o ponto central seja o fato de perceber com maior clareza o espaço entre eu (meu corpo) e os pensamentos. A sensação era como se os pensamentos estivessem do lado de fora do meu corpo, mas dentro do “círculo” ao redor.

O que ficou disso tudo é a sensação da respiração “cheia”, profunda, como uma base que me mantinha fixo, não permitindo que fosse levado pelos pensamentos.

Essa experiência surgiu do nada. Eu apenas sentei e aconteceu.

Apesar disso, não se repetiu no zazen de hoje a noite que fiz. Isso mostra que muito dessa minha descrição é parte de uma experiência bem superficial ainda

Reflexões de Praticantes Leigos (02)


O membro-praticante da Sanga Frederico Blanco de Miranda compartilhou conosco, no nosso grupo de WhatsApp, a seguinte reflexão:

Apesar de estarmos aqui, temos que reconhecer que a internet é um dos grandes obstáculos à prática nos dias de hoje. Ela se constitui por um imenso turbilhão de informações, conteúdos e conexões que, se não soubermos administrar, facilmente somos arrastados por ansiedades e angústias, e nem nos damos conta.

Realmente é um grande desafio realizar uma prática efetiva atualmente. O desafio é conseguir por a prática em primeiro plano no dia a dia.

Para tanto, é preciso um grande esforço para modificar os hábitos. Não há prática “online”. A internet é apenas um meio para estar no mundo, e não um fim.

Apesar de ser esta uma constatação óbvia, não é óbvio que as pessoas percebam quando estão presas na ilusão de uma prática. A prática não se constitui por “memes” e textos online, nem por vídeos e palavras de “amor”.

Por isso, a meu ver, a prática do samu é de extrema importância para se criar uma base firme e não se deixar levar por meros “posts” na internet.

Jihi Sesshin (Retiro da Compaixão)


Positive reinforcement word Compassion engrained in a rockAproveitando do feriado da Páscoa cristã para fazer um retiro zen budista, lembramos que tanto o Budismo quanto o Cristianismo compartilham o cultivo da virtude da compaixão.

Por este motivo, o tema deste retiro de estudo e convivência – Jihi Sesshin (慈悲接心) –  é justamente a compaixão – um momento para refletirmos sobre o seu verdadeiro significado e como podemos viver de uma forma compassiva.

Este ano (2018, dias 29 de março a 1 de abril), o foco será o uso do dinheiro como uma parte da prática de compaixão, dando continuidade ao estudo sobre O Zen do Dinheiro iniciado no Natsu Sesshin (Retiro de Verão) de 2018.

Informações, Ficha de inscrição e Valores Sugeridosencontram-se nesta página.

 

 

Depoimento: Uma pequena folha de grama


Compartilhando do postulante-monástico Daniel Confortin:

Uma pequena folha de grama

Em 2014 tomei meu caminho até Kathmandu para estudar no Rangjung Yeshe Institute, um centro de estudos budistas filiado à Kathmandu University e ao Ka-Nying Shedrub Ling. Chegar até lá não foi nada fácil. Mesmo não sendo minha primeira “carreira das Índias”, deixar tudo para trás e permanecer lá por cerca de um ano nos rigores do monastério foi uma das experiências mais exigentes (para dizer o mínimo) de toda a minha vida.

Estudantes do Rangjung Yeshe Institute durante o Seminário Anual de 2014 com as bençãos de Chokyi Nyima Rinpoche.

Ao regressar, já em meados de 2015, fugindo de um terremoto que matou quase nove mil pessoas, encontrei em Passo Fundo (RS) um local e alguns amigos para continuar os estudos do Darma.

O local foi a Casa Carino Corso, cedido gentilmente pela querida Ana Carina Schell Corso, e os amigos foram Pablo João da Costa e Candice Machado. Nossas reuniões buscavam emular o modelo de “Dharma House” proposto por Chokyi Nyima Rinpoche, meu querido professor e abade do monastério onde estudei no Nepal. Misturávamos estudos de textos clássicos e práticas de meditação, volta e meia organizando um ou outro retiro. Durante esse período estudamos textos como “A Revolução da Atenção” de Alan Wallace, um comentário sobre o Sutra do Coração Por S.E. Gyalwa Dokhampa e o comentário de Thich Nhat Hanh sobre o Satipatthana Sutta.

Primeiro retiro com Lama Jigme Lhawang, representante no Brasil da linhagem Drukpa do Budismo himalaico.

Os primeiros dois retiros promovidos pelo grupo (agora maior) no ano de 2016 foram com o grande amigo e professor Lama Jigme Lhawang que nos ofereceu uma introdução a meditação no Budismo Himalaico e também uma visão das Quatro Nobres Verdades. Foram mais de trezentas pessoas entre palestras pública e retiros!

Já em 2017, depois de diversos encontros e desencontros, convidamos a Monja Isshin, Sensei, do Jisui Zendô. O objetivo inicial, em meio à uma greve geral que parava o país, era fazer uma comparação entre as abordagens do Mindfulness e a meditação nos caminhos espirituais. A palestra pública atraiu cerca de 100 pessoas e o retiro mais de 30! Acredito que foi durante esse retiro que agimos realmente como Sanga, como um grupo.

continua no Medium

Mini-curso 03: O Zen e As Paramitas


Mini-Curso 03 Arte-EmailMini-Curso 03: O Zen e As Paramitas
2, 9, 23, 30 de março, 2018 ás 20h

  1. Introdução
    1. Significado de Paramita
    2. Desenvolvimento das Paramitas
    3. Os Quatro Incomensuraveis
    4. Bodaisatta Shishôbô (The Four Ways a Bodhisattva Acts to Benefit Human Beings) de Mestre Dogen
  2. As Paramitas da Mahayana 1 e 2
    1. Dāna pāramitā
    2. Śīla pāramitā
  3. As Paramitas da Mahayana 3 e 4
    1. Kṣānti pāramitā
    2. Vīrya pāramitā
  4. As Paramitas da Mahayana 5 e 6
    1. Dhyāna pāramitā
    2. Prajñā pāramitā
    3. As Paramitas na Escola Teravada

Contribuição mínima: R$ 60
Pagamento deverá ser realizado através de PagSeguro pelo link abaixo:

Você também pode tornar-se membro da Sanga Virtual Jisui. Com sua filiação você tem acesso direto a este e outros cursos e ainda ajuda na divulgação dos ensinamentos preciosos que o Budismo oferece. Mais informações entre em contato através do e-mail aguasdacompaixao@gmail.com


Formulário de inscrição para o Mini-curso:

 ATENÇÃO: Antes de enviar o formulário de inscrição faça o pagamento como indicado acima para que possamos confirmar sua vaga. Muito obrigado!
%d blogueiros gostam disto: