Carta pela Compaixão

No dia 25 de abril, após receber o convite de ingressar como parceira oficial do Charter for Compassion, uma iniciativa internacional e inter-religiosa idealizada pela Karen Armstrong como seu projeto de Prêmio TED, a Monja Isshin apresentou a Carta à Sanga Águas da Compaixão, que aprovou esta iniciativa e se comprometeu a colaborar na prática e divulgação da mesma.

Segue o texto da Carta pela Compaixão:

Carta pela Compaixão

O princípio da compaixão é o cerne de todas as tradições religiosas, éticas e espirituais, nos conclamando sempre a tratar todos os outros da mesma maneira como gostaríamos de ser tratados. A compaixão nos impele a trabalhar incessantemente com o intuito
de aliviarmos o sofrimento do nosso próximo, o que inclui todas as criaturas, de nos destronarmos do centro do nosso mundo e, no lugar, colocar os outros, e de honrarmos
a santidade inviolável de todo ser humano, tratando todas as pessoas, sem exceção,
com absoluta justiça, eqüidade e respeito.

É necessário também, tanto na vida pública como na vida privada, nos abstermos,
de forma consistente e empática, de infligir dor. Agir ou falar de maneira violenta devido
a maldade, chauvinismo ou interesse próprio a fim de depauperar, explorar ou negar direitos básicos a alguém e incitar o ódio ao denegrir os outros – mesmo os nossos inimigos – é uma negação da nossa humanidade em comum. Reconhecemos que falhamos na tentativa de viver de forma compassiva e que alguns de nós até mesmo aumentaram a soma da miséria humana em nome da religião.

Portanto, conclamamos todos os homens e mulheres ~ a restaurar a compaixão ao centro da moralidade e da religião ~ a retornar ao antigo princípio de que é ilegítima qualquer interpretação das escrituras que gere ódio, violência ou desprezo ~ garantir que os jovens recebam informações exatas e respeitosas a respeito de outras tradições, religiões e culturas ~ incentivar uma apreciação positiva da diversidade religiosa e cultural ~ cultivar uma empatia bem-informada pelo sofrimento de todos os seres humanos – mesmo daqueles considerados inimigos

É urgente que façamos da compaixão uma força clara, luminosa e dinâmica no nosso mundo polarizado. Com raízes em uma determinação de princípios de transcender o egoísmo, a compaixão pode quebrar barreiras políticas, dogmáticas, ideológicas e religiosas. Nascida da nossa profunda interdependência, a compaixão é essencial para
os relacionamentos humanos e para uma humanidade realizada. É o caminho para a iluminação e é indispensável para a criação de uma economia justa e de uma comunidade global pacífica.

Convidamos todos a visitar o site da Carta pela Compaixão (site em espanhol) e registrar seu apóio a seus princípios. (site em inglês)

. fazer download da Carta pela Compaixão em formato pdf

. ler uma entrevista da Monja Isshin: Compaixão é sentir com amor

Anúncios

Uma resposta to “Carta pela Compaixão”

  1. Oficina: Mediação de Conflitos – Primeiros Passos | Monja Isshin Says:

    […] e agradável. Falamos do significado verdadeiro da compaixão e todos receberam uma cópia da Carta pela Compaixão, idealizada pela historiadora das religiões e autora  Karen […]

    Curtir


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: